A Morais Leitão atribuiu, pela primeira vez, o seu Prémio Inovação, um recém-inaugurado galardão interno da sociedade.

A vencedora foi Patrícia Carvalho, colaboradora e assistente da Morais Leitão, com um projeto de rotação internacional de advogados e colaboradores da sociedade, de modo a aprofundar a partilha de procedimentos dentro de uma rede que já conta com escritórios em três continentes.

O prémio consiste numa viagem à escolha da vencedora, com a condição única de englobar uma visita a qualquer uma das sbr>ociedades que integram a rede Morais Leitão Legal Circle – Portugal, Angola, Moçambique, Macau e Hong Kong.

Nesta primeira edição do Prémio Inovação da Morais Leitão foram apresentadas a concurso 30 ideias. O sucesso do projeto reflete a forma como todos os advogados e colaboradores vivem ativamente o crescimento da sociedade, com uma consciência atenta ao seu desenvolvimento, participando e integrando comentários, sugestões e críticas, sempre marcados por um forte espírito de iniciativa.

As propostas de Inês Magalhães Correia, José Maria Montenegro, Maria Rupia Lopes e Paula Lopes mereceram ainda a atribuição de menções honrosas, pela sua qualidade.

Este prémio é uma das iniciativas resultantes de um intenso diálogo interno em torno da inovação, que se tem caracterizado pela maneira alargada, inclusiva e participativa como decorre.

Sobre a Morais Leitão

A Morais Leitão, Galvão Teles, Soares da Silva & Associados é uma sociedade com uma longa experiência de liderança no mercado português. De renome internacional, conquistou uma reputação de excelência entre pares e clientes em relação ao elevado rigor técnico dos serviços prestados, aos valores éticos e à abordagem inovadora das questões, traduzida no reconhecimento sucessivo e consistente em prémios atribuídos à sociedade e aos seus advogados a título individual.

Através da rede Morais Leitão Legal Circle, a Morais Leitão apresenta uma equipa de mais de 250 advogados, a partir de escritórios em Portugal (Lisboa, Porto e Funchal), Angola, Hong Kong, Macau e Moçambique.