Hiscox
  • Segundo o Hiscox Online Art Trade Report as vendas do mercado online de arte aumentaram 4%, atingindo 4.338 milhões de euros.
  • No primeiro semestre de 2020 os números gerados nos leilões online da Christie’s, Sotheby’s e Phillips representaram um crescimento quatro vezes maior (436%) em comparação com os dados de
  • Otimismo das plataformas online de arte: 80% espera que as vendas aumentem nos próximos 12

A oitava edição do estudo anual Hiscox Online Art Trade Report sobre o mercado online de arte, revela um aumento de 4% em 12 meses, gerando uma faturação estimada de 4.338 milhões de euros. Em 2018, a taxa de crescimento anual ficou nos 9,8%, o que significa que estes últimos números representam o quarto ano consecutivo em que a taxa de crescimento desacelerou.

Num cenário de nova normalidade em que as galerias e os museus regressam gradualmente à sua atividade, o relatório Hiscox Online Art Trade Report 2020 sugere que, depois de viver um ano de “crescimento moderado em 2019”, a pandemia pode significar um ponto de viragem importante para as vendas online de arte. A pesquisa complementar realizada pela Hiscox durante o período de confinamento (e que também faz parte das conclusões do Hiscox Online Art Trade Report 2020), revela um crescente sentimento de otimismo sobre o futuro das vendas online de arte: a maioria (80%) das plataformas online de arte esperam um aumento de vendas nos próximos 12 meses e 65% estão confiantes de que o impacto da pandemia neste mercado será “permanente e transformador”.

Analisando especificamente o caso das leiloeiras, o relatório estima que as vendas (apenas de leilões online) da Christie’s, Sotheby’s e Phillips geraram 333 milhões de euros no primeiro semestre de 2020, um valor que representa um crescimento de 436%, em comparação com o mesmo período de 2019. As vendas online representaram 28,3% do total de vendas de leilões – nestas três empresas – durante o primeiro semestre de 2020, uma percentagem bastante superior aos 1,2% registados neste mesmo período de 2019.

Comentando os resultados do estudo, Rui Ferraz, Diretor de Arte e Clientes Privados da Innovarisk, representante da Hiscox em Portugal, afirmou que “depois de um ano de 2019 em que a evolução do mercado online apresentou um crescimento bastante moderado, num cenário de desaceleração da economia global de arte, os primeiros sinais sugerem que o novo coronavírus pode ter sido o catalisador que faltava à transação de obras de arte em ambiente online. De facto, embora o mundo da arte tradicional tenha sido atingido pelos eventos dos últimos meses, e as vendas digitais representem ainda menos de 10% do mercado global de arte, o crescimento exponencial deste mercado online nos primeiros 6 meses de 2020 pode ser o início de um admirável mundo novo”.

Principais conclusões:

  • As vendas online de arte e colecionáveis geraram uma faturação estimado de 338 milhões de euros em 2019, 4% mais do que em 2018, embora a taxa de crescimento anual tenha diminuído nos últimos anos: 24% em 2015; 12,5% em 2017 e 4% em 2019.
  • As artes plásticas representam 32% das vendas online, à frente de relógios e joias (23%), artes decorativas (12%) e móveis (8%). Outros itens colecionáveis, como selos e objetos de decoração, representam um quarto de todas as vendas (25%). Foi ainda observado que as leiloeiras tradicionais estão a alterar o seu foco para atrair colecionadores mais jovens
  • Apesar da desaceleração do mercado global de arte, 80% das plataformas online de arte esperam que as vendas digitais aumentem nos próximos 12 meses.
  • O impacto da pandemia acelerou as vendas online nos últimos Estima-se que as vendas (apenas leilões online) de Christie’s, Sotheby’s e Phillips tenham gerado 333 milhões de euros no primeiro semestre de 2020. Um crescimento de 436% em comparação com os números do mesmo período de 2019.
  • Consultados sobre a possível projeção destas últimas tendências e comportamentos do consumidor, 65% das plataformas de vendas online de arte esperam que a pandemia tenha “um impacto permanente e transformador” no setor.
  • Uma larga amostra do setor espera uma “consolidação” do mercado: 67% das plataformas acreditam que nos próximos cinco anos o negócio online de arte será dominado por alguns ‘players’ globais.
  • Cerca de 63% esperam que os operadores do mercado de arte existentes – como galerias – surjam como os principais ‘players’ online, enquanto 48% acreditam que um ‘outsider’ (uma startup ou uma gigante da tecnologia) entrará no mercado.

Para mais informações, o estudo completo encontra-se disponível em https://www.hiscox.co.uk/online-art-trade-report.

Events during COVID-19

We are traversing some uncertain times, changing the day to day functioning of many businesses. This is no different for our Chamber of Commerce, however, we are adapting to a new reality and the challenges that they bring.

Our Chamber will continue to organise webinars and events on a virtual platform, allowing members to continue to meet and network and share knowledge and ideas.

Stay tuned in to our events by making sure that your email is on our mailing list!

Estamos a atravessar tempos incrivelmente incertos com o modo de funcionamento do dia a dia de muitas empresas a mudar. Para a nossa Câmara de Comércio a situação não é diferente, estamos a adaptar-nos a uma nova realidade com os desafios inerentes.

Contudo a Câmara de Comércio Luso-Britânica vai manter a organização de eventos, agora num ambiente virtual, onde os associados podem continuar a reunir-se para ter acesso a informações úties assim como trocar ideias e experiências.

Mantenha-se informado(a) e não perca a oportunidade de participar, adicione o seu email à nossa mailing list.