• Crescimento de 9,8% nos últimos 12 meses
  • Previsão de duplicação do valor em 5 anos, alcançando os 9.320 milhões de dólares em 2024
  • Apreensão sobre o crescimento das plataformas online de arte
  • O Instagram continua a ser a rede social preferida
  • 55% dos inquiridos afirma que irá comprar mais arte nos próximos 12 meses
  • 29% dos compradores Millennial afirmam preferir comprar arte online.

A sétima edição do estudo anual Hiscox Online Art Trade Report sobre o mercado online de arte, revela um valor estimado de 4.640 milhões de dólares para o mercado de arte online, o que significa um aumento de 9,8% em 12 meses. Apesar do decréscimo face ao período homólogo prevê-se que o valor do mercado online de arte possa alcançar os 9.320 milhões de dólares em 2024.

O estudo indica uma taxa de crescimento em desaceleração pelo terceiro ano consecutivo, com um decréscimo de 3 pontos percentuais face a 2018, em que o crescimento tinha sido de 12%. Segundo Robert Read, diretor de Arte e Clientes Privados da Hiscox, “2018 não foi um ano de mudança e esperamos para ver onde a consolidação e as perdas nos irão levar num mercado que está claramente superlotado. Talvez estejamos a assistir a uma mudança já que a confiança das plataformas online relativamente ao futuro caiu significativamente este ano.” Por outro lado é possível que a evolução do mercado de arte em geral e o aumento de volume entre 11% e 17% das divisões online da Sotheby’s, da Christie’s e da Heritage Auction abrandem esta desaceleração.

Principais conclusões: Concorrência: Uma em cada duas plataformas online acredita que a maior concorrência de mercado são os leilões (apenas 18% fizeram essa afirmação na edição anterior), enquanto que 46% apontam para as galerias com loja online como a sua principal concorrência, mais 8% que em 2018.

Evolução do mercado: Apesar de 77% das plataformas online entrevistadas terem uma opinião positiva sobre a evolução do mercado online de arte para os próximos 12 meses, esta confiança caiu significativamente quando comparada com 2018 (96%). Adicionalmente, 71% das plataformas online afirmaram esperar mais consolidação entre as plataformas online de arte nos próximos 12 meses.

Desafios: Para 64% das plataformas inquiridas a construção da confiança junto do colecionador e o reconhecimento da marca são os principais desafios do mercado.

Compra de arte: 55% dos compradores online de arte entrevistados dizem que vão comprar mais arte este ano, 3% mais do que no ano anterior (52%).

Redes Sociais: O Instagram consolidou a sua liderança com 65% dos consumidores a escolherem esta plataforma como a sua rede social preferida para fins relacionados com arte, em comparação com 63% em 2018.

Geração Millennial: 79% dos Millennials inquiridos afirmaram terem comprado arte online mais do que uma vez (64% em 2018). Da mesma forma, 23% afirmam que nunca compraram arte num espaço físico (como galerias, leilões ou feiras de arte), face aos 18% do ano passado. 51% dos entrevistados com menos de 30 anos consideram a propriedade de peças de arte como uma forma de investimento.

Blockchain: No mercado de arte este sistema é utilizado para verificação da origem e para registo de propriedade. Metade das plataformas online garante que a tecnologia blockchain será bem-sucedida nos próximos anos no controle e registo do título/propriedade.

Para mais informações, o estudo completo encontra-se disponível em https://www.hiscox.co.uk/online-art-trade-report