Garland dá a volta ao Brexit

Para responder aos desafios alfandegários provocados pela saída do Reino Unido da União Europeia, a Garland Transport Solutions estabeleceu uma parceria com um novo agente do outro lado do Canal da Mancha para aumentar a sua cobertura no transporte de mercadorias por via terrestre entre Portugal e a Grã-Bretanha.

O contrato com a subsidiária da Rhenus Logistics, que foi firmado pouco antes do Brexit, segundo a Garland, entrou recentemente em vigor, com o objetivo de responder aos constrangimentos ao transporte de mercadorias de e para o Reino Unido.

«O facto do acordo [do Brexit] ter sido alcançado à última hora, não deu tempo para importadores, exportadores e entidades alfandegárias se prepararem para uma transição suave. Como resultado, o sistema informático da alfândega britânica não ficou atualizado atempadamente, tendo, no entanto, o governo inglês permitido a prorrogação até julho dos pagamentos de IVA, o que não aconteceu em sentido contrário – a União Europeia não concedeu a mesma prorrogação, pelo que os despachos alfandegários tiveram de ser feitos no momento. Todos estes constrangimentos provocaram atrasos, com camiões parados em filas durante vários dias e empresários descontentes sem perceber por que, tendo sido alcançado um acordo, tinham de pagar custos alfandegários», explica Peter Dawson, presidente do Grupo Garland.

O Grupo Garland criou um Departamento de Documentação e Despachos para responder às novas necessidades do comércio internacional com o Reino Unido e apoiar os seus clientes e dispõe no país de um “broker” especializado em sistemas eletrónicos compatíveis com a alfândega britânica, que está encarregue de despachar envios para Portugal.

Além disso, indica, com o novo agente «a Garland passa a disponibilizar serviços regulares entre os seus centros logísticos de Cascais e Maia de e para as cidades de Maldon (Londres), Hinckley (Centro-Sul do país), Cannock (Birmingham), Bradford e Manchester (Norte) para transporte das exportações e importações nacionais». Os armazéns dispõem todos de áreas aprovadas pelas entidades alfandegárias portuguesa e britânica, «sem as quais seria difícil consolidar as cargas que se destinam a importação ou exportação», sublinha a empresa.

Peter DawsonPeter Dawson [©Garland]Com cerca de dois meses decorridos após a efetivação do Brexit, «o movimento estabilizou, estando todos os intervenientes mais adaptados aos procedimentos», afirma Peter Dawson. Contudo, ressalva, «continua a haver problemas com o transporte de mercadorias em que é requerida mais documentação, como é o caso de bens alimentares, bebidas alcoólicas e componentes automóveis».

Peter Dawson garante que a Garland, que no final do ano passado venceu o prémio global de vendas e uma menção honrosa como melhor membro da Elite Global Logistics Network (EGLN) na região Europa/Marrocos, tem vindo a reorganizar os serviços de transporte terrestre de e para o Reino Unido e acredita que a empresa «continuará, como até aqui, a ser líder nacional no transporte de grupagem» entre Portugal e o país de Isabel II. «Após um janeiro muito difícil, aumentámos no mês passado [fevereiro] os movimentos entre os dois países relativamente ao período homólogo do ano passado, provando a nossa capacidade de resolver os problemas criados pelo Brexit», conclui o presidente do Grupo Garland.

Texto&Fotos
Portugal Têxtil

Events during COVID-19

We are traversing some uncertain times, changing the day to day functioning of many businesses. This is no different for our Chamber of Commerce, however, we are adapting to a new reality and the challenges that they bring.

Our Chamber will continue to organise webinars and events on a virtual platform, allowing members to continue to meet and network and share knowledge and ideas.

Stay tuned in to our events by making sure that your email is on our mailing list!

Estamos a atravessar tempos incrivelmente incertos com o modo de funcionamento do dia a dia de muitas empresas a mudar. Para a nossa Câmara de Comércio a situação não é diferente, estamos a adaptar-nos a uma nova realidade com os desafios inerentes.

Contudo a Câmara de Comércio Luso-Britânica vai manter a organização de eventos, agora num ambiente virtual, onde os associados podem continuar a reunir-se para ter acesso a informações úties assim como trocar ideias e experiências.

Mantenha-se informado(a) e não perca a oportunidade de participar, adicione o seu email à nossa mailing list.