A globalização económica das últimas décadas tem alterado o paradigma da competitividade passando as grandes cidades a ter um papel mais importante que os próprios países. Lisboa é hoje em dia uma cidade global que compete no panorama internacional com outras grandes cidades, sendo, por muito que nos custe, cada vez menos portuguesa e cada vez mais europeia, cada vez mais mundial.

Este movimento começou com a globalização de bens e serviços. Desde há largos anos atrás, deixou de fazer sentido ir ao estrangeiro para fazer compras porque as lojas que se encontram em Londres ou Paris são as mesmas que encontramos em Lisboa (claro que há algumas diferenças, mas pretendemos ilustrar a ideia). As multinacionais de serviços passaram também elas a ter presença física em todas as grandes cidades globais.

Atualmente, assistimos à globalização de movimentação das pessoas, ou deslocalização, como queiramos designar. A União Europeia criou o livre movimento de pessoas e bens, mas tardou até que os cidadãos europeus aproveitassem as vantagens da movimentação interna, como a possibilidade de estudar noutra cidade, trabalhar uns anos fora, ou mesmo aproveitar as vantagens de abrir uma empresa num novo destino onde abundam talentos mais baratos e o clima é melhor. Durante muito tempo, vivemos presos às fronteiras físicas, coisa que hoje já faz pouco sentido.

Lisboa, joga atualmente neste xadrez, e compete (e colabora) com outras cidades globais como Madrid, Barcelona, Berlim, Paris, Milão, Londres, Amsterdão, Praga, Viena, Copenhaga, Estocolmo, etc… Compete ao nível da atração de start-ups com os seus hubs de qualidade mundial, de estudantes para as suas excelentes Business Schools, de congressos aproveitando as excelentes infra-estruturas e capacidade hoteleira, de turismo que procura alta-cozinha a preços razoáveis, os excelentes festivais com artistas de primeiro plano, uma cidade acolhedora de pessoas simpáticas, excelente clima, conteúdos, e, claro está, compete ao nível do investimento imobiliário.

Faça download do relatório completo

Relatório gentilmente fornecido por
Nomera Capital