Monchique, 14 de Agosto de 2018

Cidadãos unem-se para ajudar Monchique

Ajuda Monchique” é um movimento cívico, sem ligações a partidos políticos, que surgiu por iniciativa de um
grupo de cidadãos, durante os recentes incêndios de Monchique.

Centro de Apoio à População

Os habitantes afetados pelos incêndios têm estado a ser auxiliados pelo Centro de Apoio à População, localizado na Escola Básica Manuel do Nascimento, em Monchique. Este Centro foi criado por um grupo de voluntários, residentes e não residentes no concelho, de diversas nacionalidades. Desde o início estiveram também envolvidos os Escuteiros, as Guias e membros de associações locais.

Na coordenação deste Centro, assim como na origem da plataforma “Ajuda Monchique”, tem estado Joana Martins. Quando teve conhecimento da situação que se estava a viver na terra onde cresceu, deslocou-se da África do Sul, onde estava em missão. Com experiência em gestão em situações de emergência e projectos de desenvolvimento em países como Moçambique (onde reside), tinha os conhecimentos necessários para saber como atuar e conseguir rapidamente ajudar as pessoas afetadas, com necessidades emergentes. Com ela, Shanti Fernandes e John Roy Dommett, entre muitos outros que têm estado a trabalhar arduamente, noite e dia.

O Centro funciona com o apoio do poder local, todo o trabalho tem sido feito em estreita colaboração com o Município de Monchique e as Juntas de Freguesia do Concelho, sendo coordenado e dinamizado por voluntários. São eles que processam todos os donativos entregues, procedendo à inventariação, organização e preparação para distribuição. Está preparado para acolher as pessoas vítimas dos incêndios, procedendo à sua triagem e encaminhamento, caso haja essa necessidade, para o Centro de Saúde, Segurança Social ou Assistência Social do Município. Tem sido possível ainda contar com diversos recursos humanos, quer
de profissionais de saúde na área da Psicologia, quer de Terapeutas de diversos ramos das medicinas complementares, que se revelam fundamentais no apoio direto às pessoas mais vulneráveis.

Abrirá em breve um Centro de Apoio à População de Alferce, gerido pela Junta de Freguesia desta localidade, permitindo uma ajuda mais direta à população desta zona extremamente afetada pelos incêndios.

Plataforma de Coordenação da Ajuda para Monchique www.ajudamonchique.com

Foi criado um website com toda a informação necessária para prestar apoio às vítimas. Quem precisa de ajuda encontra aqui um formulário, onde pode registar as suas necessidades imediatas, obtendo apoio, acompanhamento ou informações específicas: alojamento, comida e higiene, água, eletricidade ou cuidados de saúde. Os dados recolhidos têm sido encaminhados para o Município e outras entidades. Através desta plataforma, ficam registadas todas as doações e iniciativas de ajuda.
Através deste canal digital, é igualmente feita a inscrição de doadores e voluntários, e quem pretende ajudar fica a conhecer as diversas formas como o pode fazer.

Grupo no Facebook

Ainda o incêndio estava no início, e Luís Furtado, natural de Monchique e responsável por uma Farmácia do concelho, deparou-se com a mesma dificuldade que sentia a cada vez que já tinha sentido noutros casos: a falta de informação atualizada. Lembrou-se então de criar um grupo no Facebook para partilha de informações sobre o incêndio, inicialmente entre amigos, mas que hoje já tem mais de 2.700 membros.

“Ao longo dos dias em que Monchique ia sendo destruído pelo fogo, eram várias as preocupações destas pessoas, algumas nas zonas afetadas, outras que estavam longe e preocupadas com os seus familiares. A troca de informação em tempo real permitiu, por exemplo, saber sempre que estradas estavam abertas ao trânsito, onde estava a chegar o fogo, como estava esta ou aquela pessoa. Foi especialmente útil porque muitos habitantes ficaram sem telefone, incontactáveis durante dias. Neste momento há pessoas que estão a reencontrar os seus animais perdidos porque há quem publique fotografias dos mesmos no grupo.” conta Luís.

Ainda o fogo consumia a serra, e logo começaram a surgir demonstrações de solidariedade vindas de populares que se ofereceram para ajudar. O grupo foi-se então tornando num meio de comunicação atual e fidedigno acerca das dádivas e pedidos de ajuda. No passado domingo, os administradores do grupo reuniram presencialmente com a Coordenadora da Plataforma “Ajuda Monchique”, a funcionar no Centro de Apoio à Comunidade, e delinearam uma estratégia conjunta, com vista a prestar mais e melhor informação, constantemente atualizada e adequada às necessidades das pessoas afetadas por este flagelo.

Como ajudar?

De todo o país começaram a chegar donativos: primeiro foram as águas e os bens alimentares para os bombeiros, mas rapidamente se começaram a perceber os prejuízos do fogo para centenas de habitantes. Foi então que também surgiram as questões: “Como posso ajudar?”, “Será que os donativos vão mesmo chegar às pessoas necessitadas?”… entre outras.

Com a missão de fazer chegar as ajudas aos destinatários certos, foi necessário clarificar quais as formas de garantir que isso aconteça:
   – Apadrinhamento de famílias ou indivíduos que perderam as suas casas, através de recursos, bens ou tempo para ajudar. Assim, a pessoa que dá fica diretamente em contacto com alguém que necessita.
   – Alojamento temporário para pessoas que necessitem de um espaço para viver enquanto as suas habitações não oferecem as condições básicas para tal, ou para voluntários que venham de outras regiões para colaborar no terreno.
   – Alojamento permanente para pessoas ou famílias desalojadas.
   – Donativos em géneros, sendo que a lista de necessidades é evolutiva e deve ser consultado o website para verificar os dados atualizados.
   – Voluntariado , através do formulário de inscrição na plataforma, indicando a área de intervenção em que gostaria de participar.

No caso de pretender fazer um donativo monetário, existem Associações locais, para as quais pode contribuir: A Nossa Terra (Associação Ambiental), Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Monchique, N’ArteCicus (Associação Profissional dos Artesãos e Artistas Plásticos de Monchique) ou Espiral de Vontades (Associação de Apoio a Desfavorecidos). O Município de Monchique também criou uma conta solidária.

Contudo, o “Ajuda Monchique” não se responsabiliza pela gestão dos donativos para estas Associações, ou outras entidades, devendo para isso ser contactada cada entidade.

Preocupações atuais

A população de Monchique tem feito chegar algumas preocupações aos voluntários deste movimento, as quais se prendem com:
   – Carência de clínicos na Unidade de Saúde Familiar para fazerem o acompanhamento de uma população fragilizada;
   – Necessidade urgente de apoio e acompanhamento psicológico para a prevenção do suicídio junto das pessoas afetadas, quer pela perda de bens e meios de subsistência, quer pelo trauma causado pelo perigo do incêndio;
   – Acompanhamento psicológico das populações mais jovens, que tendo assistido de perto ao fogo, possam ter ficado com traumas, que se venham a refletir no seu percurso pessoal e desempenho escolar;
   – Erosão dos solos e risco de enxurradas quando surgirem os primeiros aguaceiros;
   – Planeamento e ordenamento do território com vista a evitar situações semelhantes nos anos vindouros;
   – Agravamento do abandono do espaço rural.

O movimento “Ajuda Monchique”, em nome de toda a população, pretende obter respostas a estas questões por parte das entidades com responsabilidades e poder a nível municipal e nacional.

Contactos

“Ajuda Monchique” está disponível para receber contactos através do email: [email protected]
A plataforma está online em: www.ajudamonchique.com
Também pode acompanhar as notícias através da Página Facebook: https://www.facebook.com/ajudamonchique/ ou juntar-se ao grupo https://www.facebook.com/groups/ajudamonchique